domingo, 14 de outubro de 2012

Andorinha dos beirais

(Delichon urbicum)  -  Linnaeus, 1758

É uma pequena ave migratória, que passa o verão na Europa e nas regiões temperadas da Ásia e o Inverno na África subsariana e Ásia tropical.

Alimenta-se só de insectos, que apanha durante o voo. Tem a cabeça e toda a parte superior do corpo de cor preta azulada, enquanto que o uropígio e a parte inferior do corpo e das asas são brancos. As patas, curtas, são cor-de-rosa e estão cobertas com penugem branca.  Os seus olhos são castanhos e o bico, pequeno e fino, é preto. Pode ver-se tanto nas zonas habitadas pelo homem como no campo.

Os prados, os pastos e os campos cultivados, junto à água, constituem o seu habitat preferido.

Os seus ninhos são construídos, nas fachadas, com lama e palhas, por baixo dos beirais das casas.

O seu comprimento chega aos 13 cm, a envergadura pode ter 29 cm e o peso não ultrapassa 18 gramas. 

Os movimentos migratórios das andorinhas que nidificam na Europa cruzam todo o Mediterrâneo e o Saara. Por norma deslocam-se durante o dia e só muito raramente de noite. Durante estas deslocações chegam a morrer muitos milhares de exemplares, vítimas da acção dos fortes nevões que ocorrem nos Alpes Suíços.

Sendo uma ave gregária, tem tendência a nidificar em colónias com muitos ninhos que chegam a ser construídos unidos uns aos outros. A postura é de 5 ovos e a incubação, a cargo das fêmeas, dura à volta de um mês. Têm, quase sempre, duas ninhadas por ano. 



Reino:     Animalia
Filo:       Chordata
Classe:   Aves
Ordem:  Passeriformes
Família:  Hirundinidae
Género:  Delichon
Especie: D. urbicum


                                    Imagens captadas em Cortiçadas, Montemor-o-Novo







Enviar um comentário