domingo, 27 de abril de 2014

Borboleta da sardinheira (traça do gerânio africano)

(Cacireus marshalli) - Butler, 1897

Esta espécie, com origem sul-africana, foi acidentalmente introduzida na Europa através de uma importação de gerânios (sardinheiras) contaminados com ovos e larvas. Sendo recente em Portugal (cerca de 17 anos), o seu número está a aumentar de forma assustadora visto que o seu ciclo reprodutivo é curto (30 a 60 dias) sendo, por isso, possível a ocorrência de cinco ou seis gerações por ano.

As larvas deste lepidóptero, com 1 a 2 mm de comprimento, que eclodem de ovos depositados nas flores, perfuram os caules da hospedeira, de cuja seiva se alimentam e acabam por matá-la. É considerada uma verdadeira praga do gerânio. Não tendo predadores naturais, torna-se necessário controlar a sua população, para evitar danos maiores, através de insecticidas. Mesmo com químicos este controlo torna-se complicado com a lagarta introduzida no interior dos caules. Só a utilização de produtos sistémicos se revela eficaz. Com a praga já completamente instalada o melhor é mesmo cortar os caules afectados. O insecto adulto tem 15 a 27 mm de abertura alar.

Reino:   Animalia
Filo:      Arthropoda
Classe:  Insecta
Ordem:  Lepidoptera
Família:  Lycaenidae
Género:  Cacyreus
Espécie:  C. marshalli

Imagens captadas na Quinta da casa nova, Cortiçadas, Montemor-o-Novo










Enviar um comentário