segunda-feira, 11 de fevereiro de 2013

Borboleta loba ( ou loba)

Maniola Jurtina (linnaeus, 1758)

É uma das espécies de borboletas mais comuns e difundidas na Europa, ausente apenas nas áreas sub-árticas da Escandinávia. Pode também observar-se no Norte de África, Médio Oriente, Urales e Sibéria Ocidental.

Tem uma envergadura variável entre os 44 e os 55 mm

Os prados calcários, clareiras relvadas e florestas constituem os seu habitats preferidos. Pode também ser vista em charnecas húmidas, prados de feno e bermas de estradas, mas a sua ausência  é total  nas pastagens "melhoradas" em que foram aplicados adubos.

Surgem no início de Junho e podem ver-se até Setembro.

Os ovos são esféricos, cor de palha e apresentam manchas avermelhadas. As larvas, que eclodem 14 dias  após a postura,  alimentam-se,  de grande variedade de gramíneas, durante a noite ou ao anoitecer.

No estado adulto passa grandes períodos alimentando-se, geralmente com as asas fechadas,  do nectar de grande variedade de flores como cardos, urzes, flor de amora, ligustro, alfavaca, manjerona e cânhamo. 

É frequente encontrar adultos infestados com pequenos ácaros vermelhos, que se ligam à cabeça, ao  torax ou às pernas. Estes aracnídeos perfuram a menbrana macia entre os segmentos e alimentam-se de fluídos corporais, mas não parecem causar grandes danos aos seus anfitriões.

Reino:         Animalia
Filo:            Arthropoda
Classe:        Insecta
Ordem:       Lepidoptera
Família:      Nynphalidae
Subfamília: Satyrinae
Género:      Maniola
Espécie:     M. jurtina

Imagens captadas na Quinta da Casa Nova, Cortiçadas, Montemor-o-Novo





Enviar um comentário