quinta-feira, 11 de agosto de 2011

Aranha-lobo-radiada


(Hogna radiata) (Latreille, 1817)

As aranhas, os escorpiões, os carrapatos e os ácaros formam, em conjunto, a classe dos aracnídeos. As aranhas, com cerca de 40.000 espécies, constituem a segunda maior ordem desta classe (logo a seguir à ordem Acari).

Diferentes dos insectos, desprovidas de antenas e de asas, estes seres possuem dois segmentos corporais: céfalotorax (cabeça e torax fundidos) ou prosoma e o abdómen ou epistosoma, ambos ligados por uma aste estreita (pedúnculo).

Têm oito pernas (os insectos têm apenas seis). Podem ter oito, seis, quatro, dois ou, até, nem sequer possuírem olhos (é o caso das aranhas cavernícolas). Na cabeça têm dois pares de apêndices: as quelíceras, em forma de ferrão (de quinina negra) e e os pedipalpos (ou palpos).

O corpo é revestido por um exoesqueleto (estrutura rígida de quinina).

Há espécies que são venenosas, existindo algumas no Brasil e Austrália  capazes de provocar a morte a seres humanos. Em Portugal a Loxosceles e a Viúva-negra mediterrânica, que são consideradas as mais perigosas, apenas causam dor e algum desconforto temporários.

A maior aranha europeia, com 4 cm (excluindo as patas), Macrothele Calpeiana, conhecida no Sul de  Espanha, presumivelmente endémica do Sul da Península Ibérica, só recentemente (2007) foi descoberta em Portugal (em Portalegre e na Serra Algarvia).

As teias são resistentes (cinco vezes mais que o aço, no mesmo diâmetro), leves e elásticas (podem esticar quatro vezes o tamanho natural). Resistem à água e a temperaturas muito baixas (até 45 graus centígrados negativos).

As aranhas desempenham um importante papel no controlo de pragas  de insectos, dando um importante contributo para o equilíbrio ecológico.

As imagens referem-se à espécie Hogna radiata, um dos licosídeos mais comuns em Portugal.

Reino:                     Animalia
Filo:                        Arthropoda
Classe:                    Arachnida
Ordem:                   Araneae
Família:                  Lycosidae
Género:                  Hogna
Nome Comum:      Aranha-lobo-radiada

Tem carapaça castanha coberta de pelos castanhos, cremes, pretos brancos e laranja. As patas são da mesma cor da face dorsal da carapaça. O abdómen é castanho, com tonalidades que variam entre o claro, dourado ou creme até castanho escuro. A face ventral é negra.

A sua alimentação, por vezes necrófaga, é constituída, sobretudo de insectos, podendo também comer outras aranhas e solífugos. Evita insectos quimicamente protegidos como as joaninhas, embora coma com frequência vespas. Capta as presas de emboscada, deixando-se ficar imóvel e quando um insecto se aproxima ataca-o abraçando-o com as patas e injecta-lhe veneno. Uma vez dominado, injecta-lhe enzimas e inicia  o processo de mastigação, que dura alguns minutos.

A compilação destes apontamentos teve origem em múltiplas pesquisas na Net.



                   Imagens captadas na Quinta da Casa Nova, em Cortiçadas (Montemor-o-Novo)








Enviar um comentário