segunda-feira, 13 de junho de 2016

Lagartixa do mato

(Psammodromus algirus)

Com cerca de 9 cm, esta é a maior lagartixa perfeitamente adaptada aos climas mediterrânicos, com uma cauda com cerca do dobro do comprimento do corpo. No dorso possui uma saliência longitudinal e, lateralmente apresenta duas linhas amarelas ou brancas. No ventre é esbranquiçada. Atrás da inserção dos membros anteriores apresenta manchas azuladas e atrás da inserção dos membros posteriores podemos também notar a presença de manchas mas avermelhadas.

Os macho, mais forte que a fêmea, apresenta-se com a garganta e os lados da cabeça pigmentados de laranja, durante a época da reprodução.

Existe no Sul da Europa e em quase toda a Península Ibérica.

A sua dieta alimentar é, preferencialmente, constituída por aranhas, gafanhotos, escaravelhos e formigas. De vez em quando também ingere sementes, frutos e até pequenas lagartixas.

As aves de rapina, cegonhas, garças, cobras, sardões e a víbora cornuda constituem os seus predadores naturais.

A reprodução ocorre na Primavera e prolonga-se até metade do Verão. Os ovos, em número próximo da dúzia, levam cerca de três semanas a desenvolver-se, a postura verifica-se entre Maio e Junho e a incubação dura de dois a três meses. A eclosão acontece entre Agosto e Outubro. A maturidade sexual é atingida ao segundo ano de vida e pode viver até aos sete anos.


 Nas regiões mais quentes mantém-se activa durante todo o ano, atingindo um pico de actividade entre Abril e Maio.

Dos lados do pescoço possui uma bolsa nas pregas da pele, onde se alojam carraças, possivelmente para evitar a propagação destes parasitas a outras partes do corpo.



Reino:         Animalia
Filo:            Chordata
Classe:        Reptilia
Ordem:       Squamata
Subordem:  Sauria
Família:      Lacertidae
Género:      Psammodromus
espécie:      P. algirus


Imagens captadas na Quinta da Casa Nova, Cortiçadas de Lavre, Montemor-o-Novo





Enviar um comentário