segunda-feira, 2 de fevereiro de 2015

Caracol

(Elix aspersa) - O.F. Muller, 1774

Este molusco, de pele húmida acinzentada, é a espécie de caracol terrestre mais conhecida. Possui 4 tentáculos, sendo os dois menores utilizados para se alimentar e nas extremidades dos maiores existem os olhos.
A concha calcária, em espiral, brilhante e rugosa, tem coloração marron claro com manchas marron escuro e pode atingir de 30 a 32 mm de diâmetro. Esta espécie é mais activa de noite, podendo, no entanto, também ser observado de dia após a queda de chuva. Locomove-se através de ondulações musculares do "pé", no qual se localiza um glândula que secreta um muco, que deixa quando se movimenta. 
Com um sentido de visão deficiente e sem audição, o caracol privilegia a utilização do tacto e do olfacto que se situam em todo o corpo com particular acuidade nas antenas menores.
Sendo hermafrodita, precisa, contudo, de um parceiro para copular e realizar a fecundação, o que ocorre, em média, 4 vezes anualmente. Cada cópula dura cerca de 10 horas e a gestação dos 200 a 300 ovos que cada um deposita, em covas previamente escavadas com a cabeça, dura à volta de 16 dias.
O caracol (tal como a lesma) provoca avultados danos nas culturas, uma vez que consome em abundância folhas, talos, brotos e mesmo raízes de grande variedade de plantas.
Sabe-se que o consumo humano de caracóis já remonta à pré-história.
Actualmente a helicicultura assume cada vez maior importância económica, não apenas devido à sua utilização como alimento mas também em farmacopeia e cosmética.

Reino:           Animalia
Filo:              Mollusca
Classe:          Gastropoda
Superfamília: Helicoidea
Família:         Helicidae
Género:         Helix
Espécie:         H. aspersa


Imagens captadas na Quinta da Casa Nova, Cortiçadas, Montemor-o-Novo













Enviar um comentário